Ser ou estar temporário

No fim do ano, e em épocas de grande fluxo de pessoas nas cidades, faz-se necessário a contratação de funcionários extras.

O temporário é o profissional que, por um espaço de tempo, fará parte da empresa, por isso, sua escolha deve ser criteriosa.

Mesmo sabendo-se que será uma pessoa transitória na equipe, os cuidados na sua contratação deverão ser observados e obedecidos.

Esse profissional deverá ter as competências, técnicas e comportamentais, necessárias para vaga.

E, cabe ao contratante alinhá-lo aos direcionadores e objetivos da empresa e, designar um mentor(a) para treiná-lo, auxiliar na integração com a equipe e com o aprendizado das tarefas.

A mentoria, geralmente, é feita pelo(a) gestor(a) ou líder da equipe.

Apresentar a missão, visão e valores e o manual de normas e procedimentos facilitará no entendimento e na assimilação da cultura da empresa.

Nada pior do que ser mal atendido por um profissional despreparado.

O cliente voltará pelo bom atendimento mas, falará mal, e abandonará, a empresa se for mal atendido.

E de quem é o maior  interesse em consolidar o negócio?

Ao profissional, minha dica é: procure empresas com as quais se identifica, que gosta e admira. Dedique-se, trabalhe em sinergia, conquiste e contribua com os resultados.

Quem sabe seja chamado para outras temporadas e, até mesmo, para fazer parte do quadro de funcionários?

Aos empresários recomendo capacitar, mesmo que rapidamente, seus temporários para manter o bom clima, a boa reputação e a lucratividade do seu empreendimento.

Lenora Santos

Contato

Av. das Hortênsias, 2676, loja 6, Ed. Vale do Quilombo, Centro, Gramado, RS

Visualizar no Waze