Crenças

 

Buda já dizia: “nós somos o que pensamos” e, sendo assim, o que acreditamos ser, tanto positiva, quanto negativamente, torna-se a nossa verdade.

A crença é uma representação interna que governa o comportamento; são generalizações que nos impulsionam ou nos limitam de seguir adiante em direção aos nossos sonhos. Essas generalizações podem ser sobre nós mesmos, outras pessoas, sobre o mundo, dinheiro, felicidade etc.

Crenças limitantes do tipo: eu não mereço, não consigo, o mundo é cruel, só se ganha dinheiro matando um leão por dia etc limitam as pessoas de conseguirem o que elas desejam e, até mesmo, conseguirem coisas com mais facilidade.

As crenças edificantes desenvolvem a autoestima, a autoconfiança, o otimismo e a fé. Elas nos impulsionam para frente, em direção aos nossos sonhos, metas, objetivos e realizações. “Eu posso, eu mereço e sou capaz”.

Anthony Robbins cita em seu livro Poder Sem Limites que “uma crença é um princípio orientador, máximas, fé ou paixão que pode proporcionar significado ou direção à vida.”

Porém, nem sempre somos felizes com as crenças que temos sobre nós mesmos e da vida que levamos. Mesmo que a pessoa seja capaz, ao sofrer uma derrota, se não estiver muito bem emocionalmente, não tiver uma uma boa autoconsciência, se deixará contaminar por pensamentos infundados que, geralmente, remetem a alguma situação mal sucedida do passado, tipo uma crítica.

Muitas pessoas se limitam a crer e a viver de acordo com coisas que foram impostas no passado. É comum familiares, amigos, professores, entre outros, rotularem as crianças e, muitas crianças, crescem carregando o rótulo, por terem tido algum tipo de aparência ou comportamento. Quando crescem, muitas dessas pessoas não se dão conta de que podem jogar esses rótulos fora e serem como desejam ser.

A melhor maneira de saber se o rótulo é algo verdadeiro, se o comportamento, ou característica, é mesmo da pessoa é fazendo um trabalho de autoconhecimento. Conhecer seus valores, pontes fortes e fracos, talentos etc ajudam nos apropriarmos das nossas vidas.

Podemos mudar nossas crenças a hora que quisermos, para isso, precisamos criar novas representações internas, criar um novo leque de possibilidades e recursos positivos para gerirmos nossas vidas.

Se a pessoa fizer o que deseja, nem que seja uma vez, ela terá condições de repetí-la com sucesso.

Quando as crenças são usadas, corretamente, elas serão nossas maiores aliadas para sermos e conquistarmos o que desejamos.

Já as crenças limitantes aprisionam as pessoas a estados negativos, impossibilitando-as de serem e/ou realizarem suas metas e objetivos de vida.

 

Lenora de Oliveira Santos

Fontes:

Poder sem Limites; Felicidade Autêntica; Oa 7 Hábitos das Pessoas Altamente Eficazes e crenças, caminhos para saúde e o bem-estar.

 

Contato

Av. das Hortênsias, 2676, loja 6, Ed. Vale do Quilombo, Centro, Gramado, RS

Visualizar no Waze